EJA: PROJETO DIA DAS MÃES “TODO MUNDO TEM ALGUÉM PRA CHAMAR DE MÃE”

1 – Introdução

O tema Dia das Mães é um tema a ser trabalhado onde o aluno pode se empolgar ao falar de mãe e pensar o quanto é importante ser mãe e ser filho. Na atualidade, sabemos o quanto nos falta tempo para cumprir esta missão devido às atribuições que nos foram impostas pela vida moderna.

O projeto cria situações de ensino aprendizagem que possibilitam o aluno a pensarem em suas mães enquanto pessoas humanas dotadas de desejos, sonhos, medos, projetos e duvidas e poder com isso, tornar o Mundo delas bem melhor.

        

2 – Objetivo Geral:

– Reconhecer a importância da mãe na família.
– Resgatar os valores que as famílias estão perdendo (respeito, amor, partilha…)
– Valorizar a pessoa humana.
– Valorizar o trabalho da mãe (às vezes dupla jornada de trabalho).
– Conhecer direitos e deveres dos membros da família, em especial das mães.

 

2.1 – Objetivo Específico:

-Confeccionar lembranças e cartões para presentear às mães.
– Produzir um vídeo que será apresentado para homenagear às mães.
– Fazer um concurso de poesias enfatizando o tema Mãe.
– Produzir textos com o tema “O que eu nunca disse a mamãe.”
– Enfeitar os murais com as produções dos alunos.
– Mostrar aos alunos como é ser mãe desde a fecundação ao nascimento do bebê.
– Fazer entrevistas com as mães da escola e com os dados da entrevista montar gráficos para apresentação.

Justificativa

O projeto será desenvolvido com o intuito de trabalhar dentro de várias disciplinas com o tema Dia das Mães, por ser um tema muito abrangente onde o professor pode explorar dentro de sua disciplina alguma homenagem ou até saber mais sobre como foi criado o dia das mães, como é ser mãe, e o mais importante que é o reconhecimento da mãe na família e na sociedade.

 

Metodologia utilizada:

1º e 2º ano –

1ª aula – Os alunos virão a sala de tecnologia assistirão a um vídeo sobre a vida de mãe e logo depois eles irão desenhar e pintar usando o tux paint a sua mãe.

Desenvolvendo assim a coordenação motora fina.

2ª e 3ª aulas- Os alunos ouvirão a música – Canção para a mamãe de Kelly Yara . Começa a organização da montagem do vídeo para homenagem as mães, os alunos se organizam para cantarem a música e as professoras gravarem os vídeos.

4ª e 5ª aulas – Gravação do vídeo com as crianças cantando em forma de coral.

 

3º e 4º ano-

1ª aula – Os alunos virão a sala de tecnologia para assistirem vídeos sobre as mães, como foi criado o dia das mães, logo depois usarão o writer para criar acrósticos com o nome mãe.

2ª e 3ª aula – os alunos pesquisarão figuras sobre o dia das mães para colocar em seus acrósticos na internet e confeccionarão os acrósticos em papel cartão para enfeitar o painel de dia das mães da escola.

4º e 5º aula – os alunos escreverão frases para suas mães utilizando o writer.

 

6º a 9º anos – Professores de Língua Portuguesa

1ª aula- Pesquisa na internet sobre poemas ou músicas com o tema “Mãe”

2ª e 3ª aulas – Criar um poema ou uma paródia para a mãe com o tema – “O que eu nunca disse a minha mãe.”

4ª aula – apresentação dos poemas e das paródias.

 

6º a 9º anos – Professores de ciências

1ª e 2ª aulas – Passar vídeos aos alunos sobre a criação da vida desde a fecundação até o nascimento do bebe.

Saúde: Orientação sexual (uso de camisinha)

 

6º a 9º anos – Professores de matemática.

Extra sala- Fazer uma entrevista entre as mães da escola e com os dados da entrevista montar gráficos para apresentação.

Calcular o tempo que falta para o dia das mães. Qual a idade das mães quando seus filhos nasceram
NA sala de tecnologia fazer gráficos usando o calc .

 

6º a 9º anos – Professores de História e Geografia

Formular junto aos alunos no writer ou tux paint árvore genealógica de cada aluno.

Uso da internet como ferramenta para pesquisar como foi criado o dia das mães, como e quando é comemorado em países diferentes.

Terra – http://educaterra.terra.com.br/almanaque/datas/mae.htm

Brasil Escola – http://www.brasilescola.com/datacomemorativas/dia-das-maes.htm

6º a 9º anos – Professores de Inglês

Tradução de textos ou músicas com o tema mães, confeccionar cartões para as mães.

 

Avaliação

Por meio das atividades propostas poderemos perceber como são as relações dos alunos com suas mães e compreender cada uma delas:

Os alunos conseguiram expor seus sentimentos em relação as mães?

Foram capazes de criar e se envolver nas atividades propostas?

Todos participaram do projeto?

O projeto foi suficiente para demonstrar o papel da mãe na sociedade?

Textos que podem ser utilizados no projeto.

Se as coisas fossem mães ( Sylvia Orthof)

Disponível para download no link abaixo:

Dia das mães: Livro “Se as coisas fossem mães”

 

 SE AS COISAS FOSSEM MÃES
Sylvia Orthof

e a lua fosse mãe, seria mãe das estrelas,
O céu seria sua casa, casa das estrelas belas.

e a sereia fosse mãe, seria mãe dos peixinhos,
O mar seria um jardim e os barcos seus caminhos.

e a casa fosse mãe, seria a mãe das janelas,
Conversaria com a lua sobre as crianças-estrelas,
Falaria de receitas, pastéis de vento, quindins,
Emprestaria a cozinha pra lua fazer pudins!

e a terra fosse mãe, seria mãe das sementes,
pois mãe é tudo que abraça, acha graça e ama a gente.

e uma fada fosse mãe, seria a mãe da alegria.
Toda mãe é um pouco fada… Nossa mãe fada seria.

e uma bruxa fosse mãe, seria mamãe gozada:
Seria a mãe das vassouras, da Família Vassourada!

e a chaleira fosse mãe, seria a mãe da água fervida,
Faria chá e remédio para as doenças da vida.

e a mesa fosse mãe, as filhas, sendo cadeiras,
Sentariam comportadas, teriam “boas maneiras”.

ada mãe é diferente:
Mãe verdadeira, ou postiça, mãe-vovó, mãe titia,
Maria, Filó, Francisca, Gertrudes, Malvina, Alice,
toda mãe é como eu disse.

ona Mamãe ralha e beija,
Erra, acerta, arruma a mesa, cozinha, escreve, trabalha fora,
Ri, esquece, lembra e chora, traz remédio e sobremesa.

em até pai que é “tipo-mãe”…
Esse, então, é uma beleza

 

Como surgiu o Dia das Mães

As mais antigas celebrações do Dias das Mães eram realizadas na primavera e homenageavam deusas, como por exemplo na Grécia Antiga, em honra de Rhea, mulher de Cronos e Mãe dos Deuses.  Já em Roma era dedicada a Cybele, a Mãe dos Deuses Romanos e iniciaram por volta de 250 anos antes do nascimento de Cristo.

Durante o século XVII, a Inglaterra passou a celebrar no 4º Domingo de Quaresma (40 dias antes da Páscoa) um dia chamado Domingo da Mãe, que homenageava todas as mães inglesas. Neste período, a maior parte da classe baixa inglesa trabalhava longe de casa e vivia com os patrões. No Domingo da Mãe, os servos tinham um dia de folga para regressarem as casas e passar esse dia especial com a mãe deles.

À medida que o Cristianismo se espalhou pela Europa passou a homenagear-se a Igreja Mãe – a força espiritual que lhes dava vida e os protegia do mal. Ao longo dos tempos a festa da Igreja foi-se confundindo com a celebração do Domingo da Mãe. As pessoas começaram a homenagear tanto as suas mães como a Igreja.

 

Criação oficial

A história da criação do Dia das Mães começa nos Estados Unidos, em maio de 1905, em uma pequena cidade do Estado da Virgínia Ocidental. Foi lá que a filha de pastores Anna Jarvis e algumas amigas começaram um movimento para instituir um dia em que todas as crianças se lembrassem e homenageassem suas mães.

A idéia do movimento era fortalecer os laços familiares e o respeito pelos pais. Para Anna a data tinha um significado mais especial: homenagear a própria mãe, Ann Marie Reeves Jarvis, falecida naquele mesmo ano e que tinha almejado um feriado especial para honrar as mães. Sua filha jurou terminar o trabalho que ela havia começado.

Durante três anos seguidos, Anna lutou para que fosse criado o Dia das Mães. Em 10 de maio de 1908, ela conseguiu que fosse celebrada uma missa em homenagem às mães na Igreja Metodista Andrews, da cidade de Grafton (Virgínia Ocidental).

A primeira celebração oficial do dia das mães aconteceu somente dois anos depois, em 26 de abril de 1910, quando o governador William E. Glasscock incorporou o Dia das Mães ao calendário de datas comemorativas daquele estado. Virgínia Ocidental se tornou o primeiro a reconhecer a data oficialmente. Mas rapidamente outros estados norte-americanos aderiram à comemoração.

Em 1914, o então presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson (1913-1921), unificou a celebração em todos os estados, estabelecendo que o Dia Nacional das Mães deveria ser comemorado sempre no segundo domingo de maio. A sugestão foi da própria Anna Jarvis. Num curto tempo, mais de 40 países adotaram a data. Aqui no Brasil, como na Europa, a comemoração é feita na mesma data.

Cravos: símbolo da maternidade

Durante a primeira missa das mães, Anna enviou 500 cravos brancos, escolhidos por ela, para a igreja de Grafton. Em um telegrama para a congregação, ela declarou que todos deveriam receber a flor. As mães, em memória do dia, deveriam ganhar dois cravos. Para Anna, a brancura do cravo simbolizava pureza, fidelidade, amor, caridade e beleza. Durante anos, Anna enviou mais de 10 mil cravos para a igreja, com o mesmo propósito. Os cravos passaram, posteriormente, a ser comercializados.

 No Brasil

O primeiro Dia das Mães brasileiro foi promovido pela Associação Cristã de Moços de Porto Alegre, no dia 12 de maio de 1918. Em 1932, o presidente Getúlio Vargas oficializou o feriado. Em 1947, Dom Jaime de Barros Câmara, Cardeal-Arcebispo do Rio de Janeiro, determinou que essa data fizesse parte também no calendário oficial da Igreja Católica.

 No Mundo

2º domingo de maio – Estados Unidos, Brasil, Dinamarca, Finlândia, Japão, Turquia, Itália, Austrália e Bélgica

2º domingo de fevereiro – Noruega

2º domingo de outubro – Argentina

2º dia da primavera – Líbano

1º domingo de maio – Portugal

10 de maio – México

8 de dezembro –  Espanha

Último domingo de maio – Suécia

4º domingo da Quaresma – Inglaterra

 Fontes:

Terra – http://educaterra.terra.com.br/almanaque/datas/mae.htm

Brasil Escola – http://www.brasilescola.com/datacomemorativas/dia-das-maes.htm

Arte Educação –

http://www.arteducacao.pro.br/homenagem/Mae/mae.htm#Dia%20das%20mães%20no%20mundo

HISTÓRICO – Como começou o Dia das Mães?

“Feliz Dia das Mães” é a frase mais utilizada no segundo domingo de maio em quase todos os países. Os americanos e ingleses dizem Happy Mother’s Day, os italianos Tanti Auguri, Mammina e os alemães Alles Gute Zum Mutter Tag. Independente da língua utilizada, cada pessoa expressa, nesse dia, seus sentimentos, seu carinho, sua ternura e sua alegria à mãe. E os que já a viram partir desta vida, lembram-na com o coração cheio de saudade.

A comemoração do Dia das Mães é uma das celebrações mais antigas. A História revela que antigamente na Grécia, durante a primavera, os gregos celebravam-no em honra de Rhea, a mãe dos deuses. Séculos depois, na Inglaterra, em meados de 1600, encontrou-se a celebração intitulada Mothering Day, honrando as mães da Inglaterra. Nessa época, o dia era reservado aos serviçais pobres, que prestavam serviços aos mais ricos geralmente em lugares afastados de seus lares, para se deslocarem até suas casas e passarem o dia com as mães. Para dar sentido a essa confraternização e a união, elaborava-se, conforme a tradição, um bolo especial, o mothering cake. Em 1872, nos Estados Unidos, falou-se, pela primeira vez, em dia das mães, que seria dedicado à paz, sugerido por Julia Ward Howe. No entanto, somente em 1907 foi iniciada uma campanha para a criação de um dia das mães nacional. Essa idéia surgiu na pequena cidade de West Virginia, Estados Unidos. A jovem Ana Jarvis, órfã materna, sugeriu celebrar a data no segundo aniversário da morte de sua mãe, no segundo domingo do mês de maio. Assim, nesse dia de 1907, iniciou-se o costume de reverenciar as mães em cerimônia religiosa. No ano seguinte, a 10 de maio, Ana Jarvis propôs na igreja episcopal, onde sua mãe muito havia trabalhado, que a homenagem se estendesse a todas as mães do país. Em 1910, sempre em maio, o governador de West Virginia oficializou a cerimônia no estado. Finalmente, em 1914, o presidente americano Woodrow Wilson decretou oficialmente o Dia das Mães como feriado nacional, fixado no segundo domingo de maio de cada ano. Na América do Sul, a primeira comemoração do dia das mães, foi realizada pela Associação Cristã de Moços, em Porto Alegre, a 12 de maio de 1918. Quase todos os países do mundo celebram essa festa. Alguns a celebram em datas diferentes, mas do mesmo modo que o Brasil, vários países como a Austrália, Bélgica, Dinamarca, Estados Unidos, Canadá, Finlândia, Itália, Turquia instituíram o segundo domingo de maio.

A idéia original de homenagear as mães numa cerimônia religiosa foi modificada pelo comércio, que aproveita a data para incrementar as vendas de produtos para presenteá-las. Muitas pessoas lembram apenas de homenagear as mães porque a data é explorada comercialmente, com campanhas publicitárias lembrando como a mãe é importante na vida de todos e, por isso, “precisam dar algum presente” a ela, homenageando-a.

HISTÓRICO – Como começou o Dia das Mães? Disponível em:< http://www.terra-quadrada.com.br/terra/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=4&mode=thread&order=0&thold=0> Acesso em04/08

 

LEGISLAÇÃO

DECRETO N. 21.366 – DE 5 DE MAIO DE 1932

Declarando que o segundo domingo de maio é consagrado às mães

O Chefe do Governo Provisório da República dos Estados Unidos do Brasil:

Considerando que vários dias do ano já foram oficialmente consagrados à lembrança e à comemoração de fatos e sentimentos profundamente gravados no coração humano;

Considerando que um dos sentimentos que mais distinguem e dignificam a espécie humana é o de ternura, respeito e veneração, que evoca o amor materno;

Considerando que o Estado não pode ignorar as legítimas imposições da consciência coletiva, e, embora não intervindo na sua expressão, e do seu dever reconhecê-las e prestar o seu apoio moral a toda obra que tenha por fim cultuar e cultivar os sentimentos que lhes imprimem, força afetiva de cultura e de aperfeiçoamento humano,

DECRETA:

Art. 1º O segundo domingo de maio é consagrado às mães, em comemoração aos sentimentos e virtudes que o amor materno concorre para despertar e desenvolver no coração humano, contribuindo para seu aperfeiçoamento no sentido da bondade e da solidariedade humana.

Art. 2º Revogam-se as disposições em contrário.

Rio de Janeiro, 5 de maio de 1932, 111º da Independência e 44º da República.

GETULIO VARGAS.

Francisco Campos.

Disponível em:< http://www.terraquadrada.com.br/terra/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=4&mode=thread&order=0&thold=0> Acesso em04/08

SUGESTÃO DE TEXTOS PARA HOMENAGENS

Lágrimas de Mãe

– Por que você está chorando? – ele perguntou à sua mãe.

– Porque eu sou mãe. – ela respondeu.

– Eu não entendi! – ele disse.

Ela apenas o abraçou e sussurrou:

– Você nunca entenderá!

Mais tarde o menino perguntou ao pai porque as mães parecem chorar sem nenhuma aparente razão.

– Todas as mães choram sem motivo. – o pai conseguiu responder.

O menino cresceu, tornou-se um homem e ainda tentava entender porque as mães, volta e meia, choram. Após muitos anos, em avançada idade, ele deixou o mundo. Quando sua alma viu-se frente a frente com Deus, logo perguntou:

– Senhor, nunca entendi porque mães choram tão facilmente.

Disse Deus:

– Quando criei as mães, tinha que ser algo especial. Fiz seus ombros fortes o suficiente para carregar o peso do mundo e, ainda, confortáveis para dar apoio. Dei a elas força para a hora do nascimento dos filhos e para suportar a rejeição que tantas vezes vem deles; fibra que permitisse a continuação da luta quando todos à sua volta já desistiram; perseverança em proteger a família em meio a doenças e a tristezas, sem jamais desistirem de amar; sensibilidade para amar seus filhos diante de quaisquer circunstâncias, mesmo que eles as tenham magoado profundamente. Essa mesma sensibilidade as ajuda a silenciar o chorinho de seus bebês, fazendo-os se acalmarem e, quando adolescentes, que compartilhem com elas suas ansiedades e medos. Finalmente, concedi-lhes as lágrimas para derramarem sem nenhuma razão aparente, sua única fraqueza. Por que fiz isso? Para não diferenciá-las por completo do restante da espécie humana.

(WHY mothers cry. Disponível em:< http://www.terra-quadrada.com.br/terra/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=4&mode=thread&order=0&thold=0> Acesso em: 04/08. Traduzido e adaptado)


A Mãe Águia

A águia empurrou gentilmente os filhotes para a beirada do ninho. Seu coração trepidava com emoções conflitantes enquanto sentia a resistência deles. Ela pensou: “Por que será que a emoção de voar precisa começar com o medo de cair?” Essa pergunta eterna ainda estava sem resposta para ela.

Conforme a tradição da espécie, o ninho localizava-se no alto de uma saliência num rochedo escarpado. Abaixo, havia somente o ar para suportar as asas de cada um dos filhotes. “Será possível que desta vez não dará certo?” – a águia mãe pensou.

Apesar de seus medos, ela sabia que era tempo. Sua missão materna estava praticamente terminada, restava uma última tarefa: o empurrão. A águia reuniu coragem através de uma sabedoria inata. Enquanto os filhotes não descobrissem suas asas, não haveria objetivo em suas vidas. Enquanto não aprendessem a voar, não compreenderiam o privilégio de terem nascido águia.

O empurrão era o maior presente que a águia mãe tinha para lhes dar. Era o supremo ato de amor. E, por isso, um a um, ela os empurrou… E eles voaram !!!

MCNALLY David. A mãe águia. Disponível em:< http://www.terra-quadrada.com.br/terra/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=4&mode=thread&order=0&thold=0> Acesso em: 04/08. Traduzido e adaptado


O Preço do Amor de Mãe

Uma tarde, um menino aproximou-se da mãe, que preparava o jantar e entregou-lhe uma folha de papel com algo escrito. Depois que secou as mãos e tirou o avental, leu a seguinte lista:

Cortar a grama do jardim: R$3,00

Limpar meu quarto esta semana R$1,00

Ir ao supermercado em seu lugar R$2,00

Cuidar de meu irmãozinho enquanto você ia às compras R$2,00

Tirar o lixo toda semana R$1,00

Ter um boletim com boas notas R$5,00

Limpar e varrer o quintal R$2,00


TOTAL DA DÍVIDA R$16,00

A mãe olhou o menino, que aguardava cheio de expectativa. Finalmente, ela pegou um lápis e no verso da mesma nota escreveu:

Por levar-te nove meses em meu ventre e dar-te a vida – NADA

Por tantas noites sem dormir, curar-te e orar por ti – NADA

Pelos problemas e pelos prantos que me causastes – NADA

Pelo medo e pelas preocupações que me esperam – NADA

Por comidas, roupas e brinquedos – NADA

Por limpar-te o nariz – NADA

CUSTO TOTAL DE MEU AMOR – NADA

Quando o menino terminou de ler o que a mãe havia escrito, tinha os olhos cheios de lágrimas. Fitou os olhos da mãe e disse-lhe:

– Eu te amo, mamãe! Logo após, pegou um lápis e escreveu com uma letra enorme: TOTALMENTE PAGO.

O PREÇO do Amor de Mãe. Disponível em:< http://www.terra-quadrada.com.br/terra/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=4&mode=thread&order=0&thold=0> Acesso em:04/08 Traduzido e adaptado

Posts Criados 582

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Begin typing your search above and press enter to search. Press ESC to cancel.

Voltar ao Topo