Ensino Fundamental: Livro “A primavera da lagarta”, atividades do livro e biografia da autora!

Livro: A primavera da lagarta
Autora: Ruth Rocha
Ilustrações: Jorge Kato
Coleção Amarelinha
Editora Abril
Sinopse: Bem no meio da clareira, debaixo da bananeira, os bichos da floresta resolveram fazer uma festa. Mas não era festa, não! Era um comício do sr. camaleão. Todos protestavam contra a feiura da lagarta. Só não contavam com a sabedoria da mãe-natureza que na primavera espalha sua beleza!

A autora

Ruth Machado Lousada Rocha (São Paulo, 2 de março de 1931) é uma escritora brasileira de livros infantis. É membro da Academia Paulista de Letras desde 25 de outubro de 2007, ocupando a cadeira 38.Formou-se em sociologia política e começou a trabalhar como orientadora educacional no Colégio Rio Branco.

Nasceu em 2 de março de 1931, na cidade de São Paulo. Em 1967, começou a escrever artigos na Revista Cláudia, com matérias sobre o tema da Educação, e em 1976, publicou o seu primeiro livro: Palavras Muitas Palavras.

Sua obra mais conhecida é Marcelo, Marmelo, Martelo, que já vendeu mais de um milhão de livros. Hoje, tem mais de 130 títulos publicados, com traduções de 25 idiomas. Lançou livros no parlamento brasileiro e na sede da Organização das Nações Unidas, em Nova Iorque.

Em 2000 gravou para o Canal Futura a série “Quem Conta um Conto”, uma série de animação que reproduz o poema épico de Homero, comentando as viagens e aventuras de Odisseu após a tomada de Troia até seu regresso à Ítaca na Grécia Antiga.

Em 1998 foi condecorada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso com a Comenda da Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura, além disso, ganhou outros prêmios. Em 2002 foi escolhida como membro do PEN CLUB, Associação Mundial de Escritores, localizada no Rio de Janeiro. Nesse mesmo ano, o seu livro Escrever e Criar recebeu o prêmio Jabuti.

A primavera da lagarta

Ruth Rocha

 

_Grande comício na floresta! Bem no meio da clareira, debaixo da bananeira!

Dona formiga convocou a reunião. _Isso não pode continuar!

_Não pode não! Apoiava o camaleão.

_É um desaforo. A formiga gritava. _É um desaforo!

_É mesmo. O camaleão concordava.

A joaninha que vinha chegando naquele instante perguntava: Qual é o desaforo, hein?

_É um desaforo o que a lagarta faz!

_Come tudo o que é folha! Reclamava o Louva-a-deus.

_Não há comida que chegue!

A lagartixa não concordava: _Por isso não que as senhoras formigas também comem.

_É isso mesmo! Apoiou o camaleão que vivia mudando de opinião.

_É muito diferente, depois a lagarta é uma grande preguiçosa, vive lagarteando por aí.

_Vai ver que a lagartixa é parente da lagarta. Disse o camaleão que já tinha mudado de opinião.

_Parente não! Falou a lagartixa. _É só uma coincidência de nome!

_Então não se meta!

_Abaixo a lagarta! Disse o gafanhoto. _Vamos acabar com ela!

_Vamos sim! Gritou a libélula. Ela é muito feia!

O Senhor Caracol ainda quis fazer um discurso: _É, minhas senhoras e meus senhores, como é para o bem geral e para a felicidade nacional, em meu nome e em nome de todo mundo interessado, como diria o conselheiro Furtado, quero deixar consignado que está tudo errado. Mas como o caracol era muito enrolado, ninguém prestava atenção no coitado.

Já estavam todos se preparando para caçar a lagarta.

_Abaixo a feiura! Gritava aranha como se ela fosse muito bonita.

_Morra comilona! Exclamava o Louva-a-deus como se ele não fosse comilão também.

_Vamos acabar com a preguiçosa! Berrava a cigarra esquecendo a sua fama de boa vida.

E lá se foram eles, cantando e marchando:

_Um, dois, feijão com arroz, três, quatro, feijão no prato.

_Um, dois, feijão com arroz, três, quatro, feijão no prato.

Mas, a primavera havia chegado, por toda a parte havia flores na floresta, até parecia festa. Os passarinhos cantavam e as borboletas, quantas borboletas de todas as cores, de todos os tamanhos borboletearam pela mata. E os caçadores procuravam pela lagarta:

_Um, dois, feijão com arroz, três, quatro, feijão no prato.

_Um, dois, feijão com arroz, três, quatro, feijão no prato.

E perguntavam para as borboletas que passavam:

_Vocês viram a lagarta que morava na amoreira? Aquela preguiçosa, comilona, horrorosa.

As borboletas riam, riam, iam passando e nem respondiam. Até que veio chegando uma linda borboleta.

_Estão procurando a lagarta da amoreira?

_Estamos sim. Aquela horrorosa, comilona.

E a borboleta bateu as asas e falou:

_Pois, sou eu.

_Não é possível! Não pode ser verdade! Você é linda!

E a borboleta sorrindo explicou:

_Toda lagarta tem seu dia de borboleta, é só esperar pela primavera.

_Não é possível, só acredito vendo!

_Venha ver! Isso acontece com todas as lagartas. Eu tenho uma irmã que está acabando de virar borboleta.

Todos correram para ver. E ficaram quietinhos espiando. E a lagarta foi se transformando, se transformando até que de dentro do casulo nasceu uma borboleta.

Os inimigos da lagarta ficaram admirados

_É um milagre!

_Bem que eu falei. Disse o camaleão que já tinha mudado de opinião.

E a borboleta falou: _É preciso ter paciência com as lagartas se quisermos conhecer as borboletas.

Moral da história: 

Não devemos apontar os defeitos dos outros, todos temos nossos defeitos também. Devemos ter paciência com o tempo de evolução de cada um, porque como diz a historinha, precisamos ter paciência com as lagartas se quisermos conhecer as borboletas.

Livro em PDF ao final das imagens:

LIVRO A PRIMAVERA DA LAGARTA – PARTE 1

LIVRO A PRIMAVERA DA LAGARTA – PARTE 2

40 ATIVIDADES PARA TRABALHAR ESTA HISTÓRIA:

*Baixe todas em PDF ao final da imagem de algumas das atividades.

ATIVIDADES DO LIVRO A PRIMAVERA DA LAGARTA PARTE 1

ATIVIDADES DO LIVRO A PRIMAVERA DA LAGARTA – PARTE 2

 

Posts Criados 558

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Begin typing your search above and press enter to search. Press ESC to cancel.

Voltar ao Topo