Escrita espelhada: o que é e por que acontece?

A escrita espelhada é um transtorno muito comum na fase inicial da aprendizagem. Neste artigo, ensinaremos como identificar esse transtorno e quando você deve ficar atenta e procurar um especialista.
Certamente, o conceito de escrita espelhada vai soar completamente desconhecido. No entanto, é algo que você vê com mais frequência do que imagina. Esse tipo de escrita consiste em escrever as letras invertidas, como se a pessoa estivesse olhando em um espelho.
O exemplo mais comum de escrita espelhada é o das ambulâncias. Se você ainda não notou, perceba que a palavra ambulância está escrita ao contrário na frente desse tipo de veículo. Isso tem um motivo: ajuda na identificação. Está escrito assim para que os motoristas que olham pelo retrovisor possam ler e deem passagem para a ambulância.
Nas crianças, a escrita espelhada ocorre frequentemente. Quando elas começam a escrever, não são poucas as crianças que escrevem as letras e os números invertidos (da direita para a esquerda), sem nenhum motivo aparente.
Causas da escrita espelhada nas crianças
Podemos diferenciar dois grandes motivos de escrita espelhada nas crianças:
1- Problemas de lateralidade:

Em geral, a escrita espelhada ocorre mais comumente em pessoas canhotas. Por esse motivo, os especialistas garantem que acontece devido a uma preponderância de um hemisfério do cérebro. No caso das pessoas canhotas, é o hemisfério direito.
Em um mundo no qual tudo parece ser feito para pessoas destras, não deve nos preocupar que as crianças canhotas desenvolvam essa maneira de escrever. É simplesmente algo natural delas, de acordo com a forma de ver o mundo e executar as ações.
Logicamente, não se trata de algo intencional. É apenas a forma como o cérebro ordena a maneira de escrever. Na verdade, certamente seria muito difícil para qualquer pessoa dominar essa técnica de maneira intencional.
2- Problemas de percepção:

A escrita espelhada costuma aparecer entre os quatro e os sete anos de idade. Esse período da vida coincide com o momento em que as crianças desenvolvem o predomínio de um hemisfério do cérebro, o que acontece entre os três e os cinco anos de idade. Isso determina a lateralidade. Ou seja, se a criança é destra ou canhota.
Por fim, devemos levar em consideração que nessa idade a criança está em pleno processo de desenvolvimento da percepção e das habilidades motoras. Ou seja, pode ser que ela ainda não seja capaz de reconhecer todas as formas das letras ou das palavras. Ou talvez, caso o faça, ainda não consegue colocar no papel.
“A escrita espelhada ocorre mais comumente em pessoas canhotas. Por isso, os especialistas garantem que se deve à preponderância de um hemisfério do cérebro”.
Existe uma relação entre a escrita espelhada e a dislexia?
Sim, existe. Mas até certo ponto. Frequentemente, a escrita espelhada está associada a crianças que sofrem de dislexia. No entanto, não é um sintoma exclusivo desse transtorno. Pode ser apenas uma fase do aprendizado e depois desaparecer.
O que fazer quando uma criança escreve de maneira espelhada?
 
O mais comum, nos casos de escrita espelhada nas crianças, é que não tenha continuidade e desapareça a partir dos seis anos de idade. Caso isso não aconteça, é recomendável consultar um profissional para descartar a relação desse problema com outros transtornos visuais, cognitivos ou perceptivos.
“A escrita espelhada está associada a crianças que têm dislexia, mas não é um sintoma exclusivo desse transtorno”.
Existem algumas atividades simples que os pais podem colocar em prática com as crianças que apresentam esse problema.
Aqui explicamos algumas:
– Primeiro, identificar exatamente quais são os símbolos que parecem mais complicados para a criança memorizar ou desenhar;
– Fazer “caminhos a seguir” com flechas para que a criança assimile naturalmente a forma correta de escrever os números e as letras;
– Desenhar letras ocas de tamanho preferivelmente grande para que a criança as preencha ou as pinte com cores e fortaleça o entendimento da forma correta;
– Desenhar uma linha de pontos para que a criança a complete, seguindo a direção correta da letra ou do número;
– Por fim, fazer a criança escrever a letra ou o número sem ajudas visuais. Se ela fizer corretamente, podemos passar para o próximo símbolo com o qual ela tem dificuldade.
Além disso, a leitura desde cedo ajuda as crianças a conhecer as letras e, portanto, a reconhecer suas formas e seus sentidos. Por outro lado, isso também cria hábitos de estudo saudáveis, amplia o vocabulário e melhora a ortografia.
Posts Criados 426

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Begin typing your search above and press enter to search. Press ESC to cancel.

Voltar ao Topo